sábado, 18 de setembro de 2010

42.



Odeio quando não honram palavras. Odeio mesmo. Fazem e desfazem-se delas como se nada valessem. Como se não fossem donas de definição prévia. Covardes. O que me magoa a mim é a forma como lhes ferem os significados. Sou amante deles, sempre o fui. E detesto. Detesto com todas as minhas forças quando lhes trocam as voltas. Quando lhes achincalham os sentidos. Ninguém o devia fazer. Não devia mesmo.

4 comentários:

Marisa disse...

Mais um texto excelente**

Marisa disse...

Muito obrigada, Maria. Realmente temos de variar xD

AnaLui disse...

Obrigada Mariazinha *-*

AnaLui disse...

Onde arranjas estas imagens? não encontro nada parecido xD