sábado, 25 de setembro de 2010

61.


M: Não admito. Não admito que me faltem ao respeito. Por isso nunca, mas mesmo nunca, o faças.
L: Falemos de retaliações.
M: Não existem. Não te dou tempo suficiente para essas tretas.
L: Sendo assim fico descansado.
M: Não. Não fiques. De todo. Haverá coisa pior que o meu desprezo? Acho que não. E é com esse veneno que ataco. E fica sabendo que ataco fortemente.
L: Fortemente... Como sempre.

1 comentário:

Marisa disse...

Amoo amo mesmo a maneira como escreves. Parabéns (: