domingo, 24 de outubro de 2010

79.


O teu ideal de pessoas são aquelas. Aquelas moldáveis, sabes? Aquelas que nem pedacinhos desconectados. É assim mesmo que queres as pessoas - prontas para se moldarem ao teu gosto. E é assim que gostas delas. Dá-te prazer remexer-lhes as carnes dilaceradas. Remexe-las e doseá-las de forma a que fiquem do teu agrado. Do teu excelentíssimo agrado. É assim mesmo que pretendes. Possuir as gentes e transforma-las naquilo que bem te apetece. De transforma-las naquilo que queres que sejam. Despedaçar-lhes a alma e construir uma nova. Apanhar os cacos doridos e dar-lhes um novo sentido. Um sentido que te desperte palpitações. E eu não sou feita dessa forma. Não sou feita de fragmentos ajustáveis. Não. Antes pelo contrário. Sou concebida à base de nós duros de desfazer. Por isso não percas tempo. Não percas tempo comigo. Não porque de moldável tenho muito pouco. Ou melhor, de moldável não tenho nada!

7 comentários:

Patrícia Costa disse...

adorei este blog

Patrícia Costa disse...

ultimamente tenho andado bastante 'distante' do que sou eu quando escrevo, mas quase sempre me faz falta ter estes curtos momentos! E saber que os lês, ainda melhor me 'sabe' fazelo. Um grande Obrigado por aquilo que me transmites Maria :)

Annie disse...

Your blog is amazing!
Congratulations :D

Marisa disse...

love it (:

Patrícia Costa disse...

eu sabia que ias adorar. maria linda.

velocidadesirracionais disse...

Ainda bem que não o és.Temos de ser firmes e acima de tudo ter a firmeza dentro de nós :)
adorei maria*

velocidadesirracionais disse...

obrigada maria , tu é que nunca deixes de escrever.sabes faze-lo com a alma e isso é maravilhoso e de ver e ,claramente,lêr. :)*