sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

160.


Ontem deitei-me na cama de rede e... tive saudades. Esfolei-me um bocadinho, magoei-me um bocadinho, contei até três e descobri que a casa onde agora moras cheira a infinito. Ontem deitei-me na cama de rede e estou certa de que aquele momento começou há uns meses atrás e que morreu muito antes de eu ter descoberto que... tive saudades. Que atrocidade é essa, de se ter saudades. 

1 comentário:

inês disse...

Conseguem criar no nosso corpo ainda mais buracos que as camas de rede têm