quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

206.


Tacteio o amor com travo a sonífero e
Vagarosamente 
                         me devolvo à sede do
esquecimento.
Hoje sei que
conheço os astros, os mares e os corações dos homens
quando neles fulmina
                                a saudade
de duas mãos
ininterruptas.

2 comentários:

Marco Gothe disse...

quando neles fulmina o desespero por duas mãos ininterruptas.

efeito placebo disse...

consegues ser de tal forma bonita por entre as letras que sangras...