segunda-feira, 13 de maio de 2013

216.


Oxido as memórias, meu coração metalúrgico
despede-se lentamente de si mesmo e eu aguardo os dias que nos suicidam.

3 comentários:

Flávia disse...

tãooo bom .

Yuna Ribeiro disse...

cheguei a pensar que estava disposta a encarar a verdade Maria, que estava até mesmo de luto, de luto pelo amor romântico, mas sempre acaba voltando... parece que isso foi entranhado de tal maneira, como num labirinto, a cada esquina corro o risco de me deparar com tudo de novo. seu blog, seus textos e as imagens são lindos!

Campos do Lima disse...

Muito visionário este.