sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

91.


Amor, sou apologista de ti quando usado acima de tudo pelo que significas. Sem sexos, nem idades, nem tamanhos, tão pouco cores de pele à mistura. Só amor. Amor e nada mais. Independentemente de quem ou como. De onde ou quando. Só amor. E é esse o teu encanto, não é? Quero dizer, qualquer um te pode sentir. Qualquer um te pode dar. Amor. Amor. Não escolhes quem. E é isso que gosto em ti. É nisso que és que nem eu. Não olhas a caras. Só a corações. Sempre só a corações. Poucos corações. Grandes corações.

10 comentários:

nés, disse...

e pessoas assim são tão fáceis de amar também.

inês alves disse...

amor,conjunto de verbos loucos, apreçados, potencialmente apaixonados,espero eu ahah.amar quando nos sentimos amados,e difícil mas isso torna o amor muito mais fácil e desafiante.
lindo lindo, adoro*

Patrícia Costa disse...

aí o amor. o amor, o grande amor.

Gone Monteiro disse...

Este texto descreve o facto de eu ter a orientação sexual que tenho melhor que nenhum.

Marisa disse...

sim o mais importante é olhar a corações, é mesmo. e adoro pessoas que só lhes interessa corações, adoro muito. e adoro-te.

rita disse...

amar corações passou a ser uma qualidade que só os melhores têm. ou melhor, um feitio que nasce apenas com os mais dotados.

PLAST!C disse...

Sexualmente predisposto para amar, sem rótulos!Genial.

Cristina Sá Lima disse...

urra!

btw, concordo completamente com estes dois últimos posts. com estes e com todos, mas especialmente com estes. urra prá maria :D

Ivânia Santos (Diamond) disse...

Fantástico post!!!


lovely <3

xoxo*

HelenaCarneiro disse...

adoro. (: