domingo, 20 de março de 2011

113.


Como consegues ser desse jeito?- perguntou-me - Afagar almas como ninguém. É por isso que gosto de ti - não precisas de muito para me retirares os pés da terra. E eu disse-lhe que era ela quem voava. E voava mesmo, voava tão alto. Muitas vezes, quando a olhava sem que me visse, era que nem uma uma andorinha perfurando os céus de liberdade. Nunca lho disse, não queria mostrar-lhe através de sílabas conectadas o quão gostava dela. Palavras, palavras são tão sujas para lavar almas apaixonadas, não são? Tinha medo de a quebrar - ohh tanto medo - e por isso amava-a de longe - do único jeito que sei amar. E agora ela não se lembra das bofetadas sentimentais que a afectavam em cada subida. Não se recorda da forma como costumava levitar por entre partículas quebradas. Ohh e ela sabia, sabia melhor do que ninguém atingir alturas descomunais - alturas emocionais, das que nem borboletas na barriga. Mas agora anda esquecida. Anda-se a esquecer de como é ser engolida pelo monstro do amor, de como nos sentimos pequeninas e amedrontadas e da forma como a seguir, depois do choque sentimental passar, nos sentimos de alma retalhada e peito quente. E é por isso que eu cá estou - para a lembrar de si.

5 comentários:

Maria Filipa disse...

sem duvida que vir aqui ler isto é a das melhores coisas *

Liliana Fernandes disse...

Adoro a dimensão da frase "Borboletas na barriga".
Começo a imaginar barrigas a voarem dentro da barriga, dá-me logo vontade de ir à casa de banho lol mas isso comparado com o sentimento é outra coisa :)

Liliana Fernandes disse...

*Borboletas a voar dentro da barriga LOL

luisinha disse...

as tuas palavras, tremendamente doces, caem-me como pétalas de rosa e não me magoam... que é tudo que eu preciso. para além do lar do teu sorriso, as tuas palavras são sempre a maior doçura que não olha a meios para atingir corações. pelo menos o meu. e só isso.. isso sabe tão bem. e é bom ler-te, tinha saudades. e esta música é tão a minha cara. adormecia assim. assim assim.

sara disse...

obrigado Maria.
os teus textos são sempre bonitos, sempre. uma pessoa torna-se repetitiva por estes lados.