sexta-feira, 1 de abril de 2011

116.



Definitivamente - disse-lhe ele - não devias ter nascido nesse corpo. Nesse de humano pecador de cheiro a suor e sangue e sémen. Devias ter sido um pássaro. Sim, um pássaro. Um dos que voa pelos céus fora ou então, por outro lado, um que voa unicamente no coração de uma mulher apaixonada.

3 comentários:

luisinha disse...

Cada vez tenho mais certeza que mereces o melhor do mundo.

Patrícia Costa disse...

Intenso. És fantastica Maria.

opistia disse...

mas espera... é mesmo teu ou a reprodução de algo que te disseram? lindo demais... adorei eu tenho um pássaro desses em mim...