sexta-feira, 24 de junho de 2011

134.


E depois, sem que tenhas tempo para despedidas, cais sobre um mundo de papel. Levam-te as memórias e os amores, levam-te as saudades e o jeito como costumas dançar sempre que ouves o vento. Esbofeteiam-te e nunca sabem cuidar de ti, mesmo quando achas que és tu quem não sabe limar papel sem o rasgar.
Remexem-te vezes e vezes sem conta, como se achassem ser possível, em dia algum, ajustar-te. Ficas um bocadinho menos bonita assim, plasticina sentimental, neutra de expressões, de coração a transpirar apatia e milhares de sonhos perdidos no nada que é o espaço gasoso em ti.
Nesse mundo de papel, tu não és mais tu, não és mais Outono nem noites de chuva. Nesse mundo de papel perdes a bailarina e ficas apenas com a caixa que já nem música dá. Nesse mundo de papel deixas de ser minha e passas a ser de ninguém.
Volta depressa,
Peter

16 comentários:

Ana Dória disse...

As tuas metáforas...

Ainda no outro dia mostrei este espaço a uma amiga minha, e tal como eu, ela adorou.
Bem... o que não há para adorar aqui?

Continua a escrever, minha querida, quem te lê, de ti precisa, de uma ou outra maneira.

*

Mafalda disse...

Oh Maria, fantástico, é sempre um enorme prazer ler-te.

«Nesse mundo de papel perdes a bailarina e ficas apenas com a caixa que já nem música dá. Nesse mundo de papel deixas de ser minha e passas a ser de ninguém.»

Emmeline disse...

mundo de papel ou mundo nao sei.. é para lá que me fazes voar. para um mundo tão próximo quanto distante. tão seguro, quanto frágil. tão tu, quanto eu.. arrepio-me

Lipincot Surley disse...

ninguém vive de mundos de papel, diz-lhe isso.

gostei particularmente deste texto *

May Pacheco disse...

teus textos são destruidores... amo-os. e esta música no blog! normalmente música em blog me irrita, mas fiquei aqui um tempo a mais... delongando o comentário para ouvi-la. adorei!

ad disse...

como eu adoro sempre isto

Emmeline disse...

como é que podes ser tao bonita?

Emmeline disse...

es sim. tão tão. oh. .. oooh princesa mas felizmente, a raquel não é o meu presente nem espelho ou reflexo dos meus dias de hoje.

Emmeline disse...

mesmo que tentasses..seria impossível porque ja aprendi que nada vindo de ti será banal

ines disse...

plasticina de sentimentos...
oh maria, como és linda

ines disse...

nao, mas agradeço-te do fundo do coração e digo-te és uma escritora assustadoramente brilhante

Emmeline disse...

:) mereces sempre beijinhos na alma

Pralinka disse...

amazing photo..

BTW, I’m your big fan – your style is really original and I read your blog very often and I just wonder..if we could follow each other.. But even if your answer is “no” I’ll be still your reader ♥

xoxo

chocarome.blogspot.com

Nádia disse...

FANTÁSTICO *.*

http://myfashioninsider.blogspot.com/

nés, disse...

ando maria, ando sempre à procura - e mesmo que não andasse abria uma excepção para ti, porque não estaria no meu juízo se não quisesse ouvir palavras tuas.

Simone Oliveira disse...

" Nesse mundo de papel deixas de ser minha e passas a ser de ninguém. " Mas que lindo *.*