segunda-feira, 19 de setembro de 2011

144.


Por favor não me faças longe - disse-lhe ela. É que às vezes sou tão plasticina sentimental, tão pedaço de coração cheio de pouco, que fico sempre sem saber como voltar para casa. Por favor não me digas que o que tem de ficar fica e o que tem de ir vai, porque há dias em que até mesmo o vento parece ser um amante infiel.

5 comentários:

JL disse...

gostei muito

Star Cry disse...

Vento, leva o que tem de ficar e deixa o que tem de levar!

Lipincot Surley disse...

infiel ou não, parece-me que a plasticina vai endurecendo

Simonie disse...

muita força. o vento às vezes também sabe ser amigo.

Simonie disse...

obrigada minha querida maria. és um doçe.