quinta-feira, 10 de março de 2011

109.


Pessoas: partículas perdidas algures no coração de um alguém desconhecido. Vivem de cacos e andam sempre de alma desfeita em desamores e arranhões colados ao peito. Cá eu, canso-me delas, canso-me tanto. Talvez por apresentarem sempre a mesma textura de alma ou, por outro lado, por não saberem cultivar de si diferentes facetas. São que nem neblina cerrada - inicialmente incrivelmente aliciantes mas, passado algum tempo, tornam-se maçudas e sufocantes que nem ar no deserto. E não mudam, nunca mudam. É só um mito, esse que diz respeito a renovações de almas. E nem o amor de uma boa mulher, presumindo que tal coisa existe, lava o sangue que derramam sempre que mais uma chicotada sentimental as abraça. Porque são assim mesmo - pessoas - dentro de frascos vivendo metamorfoses em jeito de guerras perpétuas entre repressão e excesso.

8 comentários:

nés, disse...

somos duas, querida maria, somos duas a achar as pessoas folhas demasiado lisas.
«dentro de frascos vivendo metamorfoses em jeito de guerras perpétuas entre repressão e excessos» nem diria melhor

Cárina Silva disse...

é verdade sim senhora, as vezes ate podemos dizer que vamos dormir sobre o assunto e a verdade é que não o conseguimos esquecer, mesmo quando acordamos no dia seguinte. obrigada ;)

Maria Sirgado Ruas disse...

Nem ainda eu diria melhor. O evidente das almas, e das suas constantes renovações.
Fantástico Maria, soberbo aliás.

filipa disse...

pessoas autênticas *

Joana disse...

Gostei muito da definição
Quase como "não gosto de pessoas, mas adoro humanos"
:)

Ligações disse...

Alegra-me mais um pouco, tenho-me sentido doente de tanto pensar, fazes-me pensar, mas num bom sentido, Alegra-me

Ligações disse...

Só fica o desejo de devorar-te, o teu ser, o teu vocabolario, as tuas palavras, irrita-me perfundamente tentar chegar a alguem e não conseguir, agora, mas a minha mente tenta alcançar a tua, não duvides, falei-te de mascaras, eu proprio tenho uma, até pk sou o que não se aceita!

Marisa disse...

"Vivem de cacos e andam sempre de alma desfeita em desamores e arranhões colados ao peito." hum, acho que isso esta mesmo a minha medida (ahah). love it.