domingo, 24 de abril de 2011

124.


- Terá nascido o amor para ser delineado? 
- Nunca nenhum traço de corpo humano conseguiria transpor o sentido efémero de um sentimento. Isso somos só nós a crer mais uma vez naquilo que melhor nos aquece a alma. Precisamos de tocar em algo e acreditar que esse algo é o que procuramos. E às vezes morremos assim, sabes? Morremos a achar que soubemos sentir quando na verdade não passamos de fantoches da ignorância. 

22 comentários:

Mafalda disse...

Esta perfeito, sabes? Das um toque as palavras, que as torna tão contagiosamente belas:)

nés, disse...

«Nunca nenhum traço de corpo humano conseguiria transpor o sentido efémero de um sentimento.» minha cara, chegaste a um ponto mais alto. já não sei que mais te possa dizer.

Emmeline disse...

mais um chapadão em mim. doce maria

Emmeline disse...

hoje é terça maria, os meus olhos procuram-te felizes mas tristes ficaram

vânia macedo disse...

oooh Maria, mais uma vez, obrigada! e, mais uma vez, estou sem palavras perante as tuas palavras. não sei como, mas és das poucas pessoas que é capaz de transpor para palavras um sentimento. e, da mesma forma, fazes com que sinta esse mesmo sentimento dentro de mim. de uma forma maravilhosa, mesmo que o sentimento seja menos bom. e eu admiro isso em ti. admiro, admiro mesmo! a prova é este teu post, como todo este teu blog. (:

ana minhalma disse...

amo tanto o teu blog. escreves tão bem :)

Maria Sirgado Ruas disse...

Sabia que só poderias ser assim Maria. :) Nos teus fatais e belos textos, noto os teus traços fortes e vincados, uma entidade destemida, com um carácter audaz, íntegro, ousado, nunca ligado a rodeios nem meios termos desnecessários. Ambas concordamos nesse aspecto: palavras por dizer caem por terra, pois apenas pó se apresentam. Os elogios supérfluos e politicamente correctos conseguem deixar-me ligeiramente irritada. Sublinho as tuas palavras ao dizeres que toda a gente deveria sentir o doce paladar do reconhecimento. Mas que seja puro, que seja quase inesperado, e sincero. Como dizes, é fabuloso sentirmo-nos verdadeiramente apreciadas e valorizadas, seja com simples palavras celestes, seja com textos 'siderais', o importante é vincular a personalidade da nossa perspectiva, em relação a tudo aliás. E awww, agradeço-te então essa forma de retribuição tão sincera e generosa Maria. Fico então assim, um pouco sem jeito, pois já te disse tudo o que penso das tuas fabulosas criações. Sinto-mo bem com o facto de gostares, é uma arte que há uns anos para cá me seduziu imenso, e esforço-me cada dia para conseguir sentir e captar cada momento peculiar e/ou rotineiro mas tento implicar ainda alguma outra 'magia' particular. É uma arte difícil do meu ponto de vista e não é fácil destacarmo-nos pois existe talento e variedade por toda a parte. Mas ora, revelo-te também que sou uma espécie de aficionada das tuas fotografias, e ainda as que publicas e reblogas no teu fantástico Tumblr, (confesso que te "roubei" e continuo "sem vergonha a roubá-las" :) pois transmitem uma serenidade extrema que não encontro num outro site sem ser no teu Tumblr).

ana minhalma disse...

obrigadaaa!eu gosto ainda mais do teu :)

Laura Ferreira disse...

E eu adorei este texto pequeno e lindo.

Emmeline disse...

e chega a paz à minha cabeça... já cansada. basta vir cá e sentir a maria do outro lado. a maria estrela do mesmo céu que o meu.
sim, não me esqueço. lembro-me sempre. acho que sabes. nunca me soube tão bem tal proximidade tão..longe. porque somos as duas assim: muito longe. e tu és muito grande, muito muito. prometo*

Patrícia Costa disse...

Sem dúvida Maria. Às vezes somos como marionetas ou actores e actrizes de amores falsos e inquerentes!
Adoro esta tua forma de expôr a realidade!
<3

Emmeline disse...

OHH! tal e qual tu... roubas tudo que tenho para dizer.

Ana Dória disse...

Mas não será dos ignorantes, o sentir?

Quanto mais dou por mim a amar a razão, na margem da introspecção, mais chamo a ignorância para o meu leito... Porque o sentir, de tão inexorável que é, toma-nos todo o corpo e alma, limpando-nos de todo o negrume, por mais feio que seja o sentimento.

E deixa-nos... leves(?), porém, quando caímos em nós, o peso que nos sufoca o peito é mais que o suportável.

Mas concordo contigo, "às vezes morremos assim (...) achar que soubemos sentir" - aqui, faço das tuas palavras minhas, certas e lancinantes.

Um beijinho enorme, minha querida.
Obrigada, outra vez, por estes registos tão teus.

Lipincot Surley disse...

Forte.

catarina marques disse...

acho que ficou alguma coisa ainda por dizer, mas mesmo assim está lindo! (:

Catl disse...

lindo, amei *

Vânia disse...

sabes o que penso , sabes o que acho de ti e disto , não precisas de elogios, tens a noção do que és e do bem que fazes a toda a gente que te lê . Deixei comentário para carregar-te na alma que estou sempre aqui, coladinha a encher-me de migalhinhas de paz belas, és tu que me chegas em partes tão bonitas ! a mim e a todos . lê só os comentários . Opá és tão grandeeeee, nunca me canso *

vânia macedo disse...

Maria, este teu último comentário é como um abraço na alma. Um abraço reconfortante. Reconfortante de tal forma que me sinto quase sem palavras para agradecer. E não, não posso pôr de lado agradecimentos, não consigo fazer isso! Tenho de dizer obrigada, por todos esses elogios que me fazes. É como se me sentisse mal se não o fizesse! Mas, continuando: o mesmo tenho eu a dizer do que escreves. Quando vejo que publicas algo novo, não resisto. Venho cá deliciar a alma. E não me canso de cá vir. Sempre que fecho a página sinto que aprendi algo aqui. E sinto-me bem com isso. Não pares de escrever, nunca. A escrita é um talento que possuis e é um talento que não merece ser oculto! E, mais uma vez, obrigada! (:

Vânia disse...

Sei . E também seu que eu posso acertar de vez em quando e tu, tu carregas-me sempre dessa sensação . Obrigada Maria bela, obrigada *

Nádia disse...

Talvez a ignorancia não seja tão má assim. Pelo menos quando é franca e não se mascara. Não gosto de ser enganada! Mais uma vez, um texto para pensar! :)

opistia disse...

Bom dia, não tens de quê :) realmente gostei muito do que escreves e da forma como o fases... parece-me que então a tua mente exalta ilusões de diálogos de uma terceira pessoa ou com uma terceira pessoa :) é sempre mais completo o relacionamento que mantemos na mente ;)

ivone silva. disse...

adoro!!