terça-feira, 12 de julho de 2011

136.


As pessoas não sabem como te manter por perto. Deixam-te sempre ir, Ann, sem que te despeças, sem que digas o quanto lamentas mas que nada há mais a fazer. Não as sei entender, não sei perceber como te deixam tão facilmente escapar por entre o vento. Desencantam-te em pequenos pormenores ávidos, vazios, feios. E tu tentas ficar, tentas gostar e tentas dar muito quando pedes tão pouco. Mas não consegues. Não consegues porque rasgam-te sempre as cordas que uniam tudo. Desfazem-te sempre os laços que serviam de intermediário a viagens sem fim e perdem-te os movimentos retraídos. Vai-se o amor, vai-se a cor, vai-se o vento e sol, vai-se tudo sem que nunca ninguém se aperceba. E tu ficas feita em pó, diminuída a cinzas que nunca chegaste a descobrir como arderam, por notares sempre o vazio que os outros não sabem sentir. Tornas-te mais tu. Tornas-te mais tu porque ficas sempre sozinha no escuro. E na sombra tudo se intensifica, tudo se retrai e tudo é levado ao extremo. Até mesmo a Ann, que é dona de gestos suaves e expressões leves, fica assim - um borrão negro excessivamente sentimental. Promete-me que não deixas que mais ninguém te faça mal. Promete-me que não deixas que eu te deixe partir.
Com o pouco que nos resta,
John

14 comentários:

sara disse...

Maria, escreves melhor do que ninguém. Adoro (adoro sempre, como já deves ter reparado)

ana minhalma disse...

o teu blog é tão amazing. quem me dera ter podido descobrir antes! sigo!

ana minhalma disse...

a sério? podias ter dito alguma coisa assim já te seguia e podia ver o teu blog e dizer que é lindo! obrigada <3

ad disse...

e ja nao é a primeira vez que me vejo nas tuas palavras, tão simples e bonito Maria.

Maria ♥ disse...

adorei o teu blog !! vou seguir .

Emmeline disse...

pois é maria,e tu serás sempre um mistério. e eu quero sempre deixar uma ponta do veu por descobrir..tens tanto encanto

opistia disse...

Realmente impressionante a forma como escreves, as imagens que permites o leitor usufruir... muito bom

Mafalda disse...

Oh Maria o teu blog é como um curativo, sabes? Melhor que comer chocolate. Sabe(-me) mesmo bem:)

Bruno Carvalho disse...

Penso que o ser humano é alguém que muda sempre, com o tempo, com os eventos que nos rodeiam. Acaba por ser natural que nos afastemos de certas pessoas que já nos foram especiais noutra altura não é verdade? Mas se de facto nos foram especiais nunca serão apenas um borrão. Mais um fantástico texto :)

P.S.: Desculpa ter-te roubado o estilo um bocado :P

Maria ♥ disse...

Obrigada ;)

Sara disse...

entendo. eu acredito e percebo o que dizes, podemos tornar-nos de tudo quando saimos de situações quer pesadas quer simplesmente lindas. é bom, por isso é que o coração acredita. asério? obrigada Maria, belos são todos os teus.

joana disse...

foi o que me disseram. é um bocado compreensivel, sendo quem são!

Lipincot Surley disse...

O pior é que fizeram isso a Ann e parece-me que ela o sabe. Ele parece, no entanto, preocupado em ajudar. O teu blog ficou soturno e mais negro! Nunca me apeteceu tanto a luz do cigarro ao ler-te. Parabéns (:

Di Almeida disse...

O quanto amo esta fotografia...

<3