sexta-feira, 13 de maio de 2011

127.



Um dia disse-me: "Ali estavas tu, rasgo de céu, encostada à parede rosa, de expressão carregada na face e peito na iminência da quebra: ali estavas tu, a lutar como só tu sabes lutar, a lutar pelos nossos heróis - que na verdade nunca chegaram realmente a existir." Não lhe respondi. E talvez devesse: talvez devesse ter-lhe dito que de todas as vezes que me via de lágrimas no olhar e fúria na alma era por sua culpa. Talvez devesse ter-lhe dito que, no fundo, era ela quem eu queria salvar. Tanta coisa por confessar - deixada na gaveta que a garganta é - cheia de pó e arrependimento e eu ali, - pequenina - apenas com medo de a perder, como quem perde um suspiro quando não quer.

12 comentários:

Emmeline disse...

oh maria. perdi assim mesmo um suspiro. és terrivel. mas doce. sabes sabes sabes.

sara disse...

oh maria, escreves mesmo, mesmo bem!

Vânia disse...

fica sempre tudo por dizer...

ivone silva. disse...

está magnífico!

opistia disse...

Tão triste :( "deixada na gaveta que a garganta é" muito bom... abre-a de uma vez, é capaz de ranger ao estrondo do teu pensamento, mas abre-a de tira-lhe tudo de dentro em grito, que seja em grito...

Mafalda disse...

Maria está fantástico. Tens um poder enorme com as palavras*

Charmoso disse...

So dirty poetic!!!! Oh God!! Above it all!?!?! Just fuck it all!!!!

beijos

Nádia disse...

Dá uma vontade de ir a correr e gritar a verdade!

http://myfashioninsider.blogspot.com/

Lipincot Surley disse...

Talvez ela devesse ter sabido. Talvez não devia uma garganta (pequenina) encerrar tanta coisa.
Apesar de tudo, e até mesmo de não existirem, é bom saber que durante algum tempo se lutou por heróis em comum!

LS

Marina Sofia disse...

adoro as tuas palavras, adoro o sentimento q transmites os textos

Beatriz Araújo disse...

um miminho para ti
http://beatrizaraujo.blogspot.com/2011/05/miminhos.html

Emmeline disse...

perco tantos suspiros assim.. oh. princesa do olhar doce, é bom ouvir-te. sempre. muito mais com o que me acabaste de dizer.